@2016. gigibarretoestudio© Todos os direitos reservados

Madrigal Contemporâneo

Show, Teatro BNDS - RJ, 2015       
Direção: Luis Lobianco   
Cenário: Gigi Barreto       
Iluminação: Aurélio Oliosi

A harmonia entre dezenas de tábuas de obras, centenas de folhas de livros e milhares de folhas secas contextualizou a dramaticidade aos poemas cantados pelo Madrigal Contemporâneo. Do piso ao teto, cortes compridos de madeira com seis metros de altura, forrados com páginas e páginas de livros de literatura e poesia brasileiras, formavam brises que, como em arquitetura, moviam-se em seu próprio eixo, realçando a iluminação que começava como um sol nascente e finalizava em luz de crepúsculo. No chão, as folhas secas traziam a delicadeza da passagem do tempo e a transformação em adubo para novas criações, nas próximas estações.